Skip to content →

Economista ma non tropo

imagem aleatória dos nossos switchers

“Apesar de ter a firewall activa, o não ter que me preocupar com virus e spyware voltou a dar-me a confiança que preciso numa ferramenta que está constantemente aberta ao mundo via internet. “

  • fotografia do entrevistado
  • Nick: Latrine
  • Outros contactos:
  • MSN: joao.carvalhinho@hotmail.com
    AIM: latrinePT
  • Modelo principal:
  • Macbook Core Duo

  • Outros modelos usados
  • Desktop Windows montado por componentes

  • Software mencionado:
  • Parallels ; mail.app; Safari; Firefox; iBackup; Adium; Cyberduck; Gimp; Inskcape; Apache; mysql; NeoOffice; Transmission; iLife; iPhoto; iTunes

iSwitch (i): Quanto tempo demorou a adquirir um mac?

J. Carvalhinho (JPC): Tempo demais… foi amor platónico quase durante dois anos. Acho que a dúvida é um sentimento comum para quem decide mudar, já que por motivos racionais dificilmente se explica a vontade de mudar assim radicalmente.

i: O que fez decidir-se?

JPC: A mudança para Intel e a possibilidade de correr bem o windows… No fim reconheço que “toda esta espera foi fútil” já que das poucas vezes que recorri ao windows no meu mac, foi principalmente para experimentar o parallels. Mas sabe-me bem saber que ele lá está para o caso de ser necessário

i: Qual o modelo? porquê?

JPC:  Eu não mudei, eu acrescentei. Tenho um desktop windows que montei e que estimo muito, que nunca me deu problemas apesar dos ataques sucessivos que eu lhe inflijo… mas precisava de um portátil, e assim juntei o útil ao agradável. Assim que o macbook foi lançado foi uma questão de falar com a minha cara metade, que ficou felicíssima pois o calvário de ir à Fnac todos os fins-de-semana para demonstrar o funcionamento da dock iria acabar.

i: É utilizador de mac a tempo inteiro?

JPC: Não… Na empresa onde trabalho é um verdadeiro ambiente Windows only. É difícil ser-se diferente e conseguir coexistir com tantas limitações (por exemplo portais web dedicados ao Internet Explorer, front ends aplicacionais Windows only). Tenho o meu Windows no Parallels plenamente configurado para aceder à rede, email, e servidores de ficheiros, consigo realizar 90% do trabalho a partir dele. Como tenho um desktop da empresa, é ridículo desligar-me profissionalmente do windows. No entanto o portátil anda sempre comigo. É bom ver todos os meus colegas irritados por não conseguirem aceder à internet, quando eu acedo via um hotspot da PT Wif-FI alojado bem pertinho.

i: O que o faz manter as ligações ao windows?

JPC: É como disse na resposta anterior. É difícil cortar amarras na minha profissão… no entanto há outro aspecto que não posso descurar… Adoro jogar computador, nomeadamente a simuladores de voo de combate, e esses apenas estão disponíveis no Windows… consolas dificilmente substituirão um bom e fiel desktop devidamente configurado.

i: Que aplicações usa normalmente?

JPC: No mac? Apesar de alguma publicidade negativa uso bastante o ical e o mail.app. Substitui bem cedo o safari pelo firefox, mais por uma questão de comodidade pois já o usava no windows. Aliás, sou fã do Open Source. Em quase todas as tarefas existem alternativas gratuitas… só é necessário é procurar a melhor. Uso o iBackup, o Adium para converseta, o Cyberduck para FTP, Gimp e Inskcape para desenho bitmap e vetorial respectivamente. Para webdesign… qualquer editor de texto serve… como o macosX já tem um Apache incorporado é fácil criar um site completo localmente sem aceder à net…. para Office uso o NeoOffice (versão mais mac do OpenOffice) e para p2p uso o transmission… todas estas aplicações são gratuitas. No domínio do iLife apenas uso o iPhoto (mais de 6.000 fotos da famelga e apresentações de os deixar de olhos em bico) e o iTunes (concluí recentemente a passagem de todos os meus cds… pelo menos os que me interessavam… ainda tenho algumas coisas antigas que terei que ripar.

i: Qual foi a sua primeira dificuldade?

JPC: Tenho duas contas de utilizador, uma para mim e outra para a Rita (esposa) e queria meter a biliboteca do Iphoto partilhada para podermos ser os dois a actualizar o seu conteúdo… ficando automaticamente disponível para os dois. tentei usar a pasta shared mas por algum motivo não funcionou… Tentei fazer o mesmo para o itunes mas não consegui… deve ser por causa dos direitos de autor… mas ainda não desisiti.

i: Alguma vez pensou que tinha feito asneira da grossa? em que situação?

JPC: Quando tentava partilhar a biblioteca de fotos inadvertidamente retirei permissões ao meu user de aceder à directoria… por momentos os últimos dois anos da nossa vida passaram-me em frente aos olhos… depois lembrei-me que podia aceder com outra conta à directoria, conferir-me direitos de admin nessa conta e repor as permissões ao meu user inicial… mas foram tempo chatos… em que me culpei… durou praí 20 minutos até ter tudo reposto…

i: E o próximo computador? será mac?

fotografia do entrevistado com filhota
1. Fotografia do entrevistado com filhota

JPC: Dificilmente. Eu precisarei algures em 2007 de um novo desktop, e como não tenho capital para o mac pro, e o imac é estanque demais (no fundo é um portátil disfarçado, um bom portátil claro) acho que vou optar por um desktop windows powered, com algo da AMD e Nvidia lá dentro. Quando muito comprarei um macmini para ligar à tv… mas como tenho um tv com poucos anos de uso que não tem suporte para entrada digital (ainda é um CRT) a ideia nem me atrai muito…

i: Diga uma coisa positiva sobre o sistema…

JPC: Segurança… apesar de ter a firewall activa (não vem por defeito) não ter que me preocupar com virus e spyware voltou a dar-me a confiança que preciso numa ferramenta que está constantemente aberta ao mundo via internet.

i: … e negativa?

JPC: Podia dizer que faltam jogos, mas o portátil não foi comprado com esse fim, por isso nem sinto muito esse problema… acho que a coisa principal será mesmo a impossibilidade de correr directamente software para windows… parecendo que não o multiboot ou a virtualização implicam mais um layer de chatisse… e a não existencia de software específico na versão mac acaba por causar alguns incómodos ultrapassáveis.

i: Aconselha os seus familiares e amigos mais chegados a mudar?

JPC:  Sem dúvida. Se antes de ter mac um era mais na brincadeira, agora sou um switcher convicto e defendo esta plataforma mais que nunca para o uso doméstico e gestão da nossa vida digital. A nível profissional aconselho sempre a mudar, mas é um parecer não vinculativo pois cada um de nós sabe o ecossistema em que se insere diariamente.

i: E o futuro, o que vai trazer?

JPC:  2007 vai ser um ano em grande. Apesar de no mundo mac dizerem que não, o Windows Vista vai aproximar em larga escala os dois mundos, e a competição com o Leopard será o prato forte. Como estou satisfeito com o Tiger não deverei embarcar logo no upgrade, até porque o meu macbook deverá ter as especificações no limite para correr toda a nova dependência do 3d visível por exemplo na demo do timemachine.

i: Muito obrigado…

JPC: De nada e boa sorte para o projecto.

Published in Entrevistas

Comments

Leave a Reply