Tradução – Lifehacker Hack Attack: A guide for switching to a Mac

1. Macbooks

Publicado por Adam Pash no Lifehacker especial de 02 de Janeiro de 2007

Se a lista de items mais vendidos da Amazon servir como indicador, muitos de vocês receberam um mac nesta época festiva. Se trocou o seu PC por um Mac, provavelmente já reparou numa ou outra diferença entre os dois.

Quando comprei o meu primeiro Mac, aqui à poucos meses, demorei algum tempo até aprender a fazer tudo o que eu já sabia fazer no PC. Apesar de o descobrir dessas diferenças ser a minha profissão, não há necessidade que você desperdice tanto tempo a descobrir minuciosamente os pormenores do sistema operativo. Para facilitar essa transição a todos os novos donos de Macs, resolvi criar este guia rápido para Mac newbies darem o salto

O que se segue é um resumo de tudo o que me despertou a atenção quando eu mudei para o meu primeiro Mac. Continuo a ser uma pessoa de Sistema Operativo duplo, mas depois de ter descoberto os pros e contras do meu Mac, é sem dúvida o sítio onde me é mais fácil realizar as minhas tarefas. Se está a entrar pela primeira vez nos Macs, as dicas seguintes darão muito jeito.

Símbolos das teclas do Mac

É um fura-vidas e conhece todas as combinações de teclas no seu PC com Windows(tm) ™. Então a primeira coisa que pretende fazer é conhecer as combinações de teclas no seu Mac. Parece muito fácil – só que porque o Mac usa um conjunto estranho de hieroglifos para as suas teclas de atalho. Alguns dos atalhos mais familiares são:

2.Command

A tecla Apple/Command é a principal tecla de modificação do seu Mac. Contrariamente à sua congénere, a tecla do Windows(tm), a tecla Command faz muito do trabalho que a tecla CTRL faz num PC com Windows(tm). Assim não pense em carregar activamente nesta tecla na expectativa de fazer surgir um menu de sistema, pois tal não vai acontecer. Em vez disso planeie usá-la para os seus atalhos de teclado mais comuns.

3. Control

Tal como disse acima, a tecla de Control no Mac não é usada da mesma foram do que a tecla Control no Windows(tm). Eu uso-a principalmente quando pretendo “clicar com o botão direito do rato” também referenciado como Ctrl-Click. A tecla CTRL também funciona de outras formas, como o Ctrl-tab no Firefox.

4. Option

Eu uso a tecla ALT/Option na maioria das vezes para saltar palavras num documento. (e evidenciá-las quando usado em conjunto com o Shift) – à semelhança do funcionamento da combinação Alt-seta de direcção num Windows(tm). Tal como a tecla Control, esta tecla encontra utilização em alguns shortcuts aqui e ali,(por exemplo para a acentuação de algumas letras), mas não é tão usada como a tecla Command.

5. Escape e Shift

Apesar da Command, Control e Option serem as principais teclas/símbolos de modificação de comportamento, por vezes encontrará referências a outros símbolos crípticos quando procura encontrar uma combinação específica, como por exemplo o símbolo da tecla Escape e a tecla de Caps Lock/fixação do shift. Para uma compreensão completa da lista de símbolos usados no mac experimente esta tabela de referência.

Combinações de teclas

Quando falamos das combinações de teclado a sorte joga a nosso favor, uma vez que muitas das combinações do seu Mac são semelhantes às do PC; geralmente basta substituir a tecla Control pela tecla Command para a maioria dos standards. Por exemplo a combinação Ctrl-c/x/v para copiar/cortar/colar transforma-se em Command-c/x/v. Simples certo?

Em vez de o aborrecer com uma longa lista de combinações vou apenas evidenciar algumas menos obvias:

Force Quit: Quando uma aplicação encrava no seu computador Windows(tm), e pretende encerrá-la, prime Ctrl-Alt-Delete. No seu Mac, vai passar a carregar em Cmd-Alt-Esc. Esta combinação faz surgir a caixa de diálogo de Force Quit- uma ferramenta similar ao Task Manager com o objectivo de encerrar programas que não estão a responder.

6. Alternador de aplicações

Mudar de janela: Se for um viciado do teclado, já usou o Alt-Tab no seu PC com Windows(tm) para saltar entre janelas abertas. O seu Mac funciona da forma similar, com uma pequena variaçao. O Command-Tab funciona entre aplicações abertas, equanto que Cmd-’/Cmd-~ fará saltar entre as janelas abertas de uma aplicação (e.g. usando Cmd-Tab salta para o firefox, e Cmd-’ slata entre várias janelas do firefox abertas).

Minimizar/esconder: Pode minimizar uma janela para a doca usando o seu teclado pressionando Cmd-M. Em alternativa pode também esconder uma aplicação premindo Cmd-H.  A diferença entre minimizar e esconder é que esconder é executado sobre todas as janelas da aplicação, e não envia nada para a doca. Em vez disso, todas as janelas da aplicação desaparece, até que opte por voltar à aplicação. Na minha experiência o benefício de usar o esconder sobre o minimizar prende-se o facto de que poderá usar o Cmd-Tab para voltar à aplicação que esta voltará ao ecrã; se minimizar a aplicação e usar o Cmd-Tab para lá voltar, esta aplicação permanecerá minimizada na doca.

7. Renomear...eu não quero renomear...

Abrir o ficheiro seleccionado: O mais certo é ter aberto um programa ou ficheiro seleccionando-o e carregando no Enter. Se for como eu, fazemos isto vezes demais. O problema está em que quando faz isto, o seu Mac pensa que quer renomear o ficheiro em vez de o abrir (não me pergunte porquê). Se pretende abrir o ficheiro, tem que carregar Cmd-O (open = abrir).

Backspace vs. Delete: Nos Macs a tecla de backspace como é conhecida chama-se Delete. E a tecla de Delete apaga da direita para a esquerda, tal como a tecla de Backspace. Se quer apagar texto da esquerda para a direita (como a tecla de Delete do Windows(tm)) tem que pressionar Function-Delete (Especialmente se estiver num portátil).

Finalmente se pretende apagar um ficheiro ou pasta de ficheiros a partir do seu teclado, seleccione o ficheiro e pressione Cmd-Delete. Irá directamente para o lixo.

Fechar janelas e aplicações: No ambiente Windows(tm), sempre que fecha a última janela aberta de um programa, este programa é encerrado. As coisas funcionam de forma diferente no mundo Mac.

8. Doca aberta com muitas aplicações.

Cmd-W fechará a janela activa (que por coincidência á a combinação que encerra a maioria das aplicações -mas não todas- no Windows(tm)), no entanto, ao contrário do ambiente Windows(tm), uma vez fechada a última janela da aplicação, esta continua activa. Se pretender encerrar mesmo a aplicação, deve usar o Cmd-Q (quit). Quando começa a trabalhar em Mac vai querer ter esta dica sempre presente, para que não desperdice a memória em aplicações que não está a usar.

Para um olhar mais profundo sobre os atalhos de teclado no Mac Osx, verifique o guia de Atalhos do Macosx da página do autor. Especificamente, espreite uns atalhos secretos (ou nem tanto) do Macosx.

9. Lista de aplicações a abrir no arranque.

Items de arranque: Qualquer utilizador de Windows ™ minimamente esclarecido sabe que existe uma ferramenta jeitosa chamada de System COnfiguration Utility, que, entre outras coisas, permite controlar quais os programas que correm no arranque (geralmente as aplicações que ficam no Sytem Tray). Da mesma forma, poderá usar o separador de Login Items no seu configurador de contas pessoais para definir quais as Apps/ficheiros/scripts que correrão cada vez que iniciar o seu computador.

Aqui encontrará mais literatura sobre o arranque do seu Mac.

10. Instalador do Firefox.

Instalar Aplicações: Isto pode parecer algo de básico para veteranos do Mac, mas quando se muda de um Pc para um Mac, poderá achar o processo de instalação um bocado confuso à partida. Isto deve-se ao facto de que geralmente não há nada para fazer. Quando descarregou uma aplicação da internet (geralmente na forma de um .dmg comprimido, que “montará” como drive virtual quando é aberto), já praticamente fez tudo o que precisa. Poderá correr a aplicação directamente dessa drive virtual ou de qualquer outro lado no seu computador, e não existe mais nada a fazer. Num sentido lato, a instalaçao de uma aplicação para o Mac consiste no mover a nova aplicação para a sua pasta “Applications”. Muitas aplciações tornam este processo muito simples, como por exemplo esta drive virtual de instalação do Firefox.

Só se possui um sistema pessoal para arrumar as suas aplicações, copiar novas aplicações para a pasta “Applications” é o processo indicado como best practice. O que não pode fazer é esquecer-se de mover a aplicação para fora do disco virtual e para o seu disco.

11. Menu de áreas de disco

Estrutura do Disco: Outra fonte de confusão ligeira que poderá encontrar quando muda para o Mac, é a estrutura do seu disco rígido, nomeadamente a diferença entre o disco entitulado “Macintosh HD” e a sua pasta “Home” (que tem o nome do seu ID de utilizador). Simplificando, a sua pasta Home,(marcada no Finder como um Til (~)) funciona como a pasta C:\Documents and Settings\User no seu computador com Windows. Todos os dados específicos do utilizador são mantidos nesta pasta, como os seus documentos, fotografias, música e atalhos do ambiente de trabalho. Não é nada particularmente de perceber, mas poderá gerar alguma confusão até se habituar.

11. Menu de áreas de disco

A Doca: A última coisa que eu vou focar é a Doca- Aquela barra de lançamento de aplicações com bom aspecto. dela pode lançar, fechar, minimizar e restaurar aplicações. Não é estritamente uma barra de tarefas do Windows, mas na generalidade tem as mesmas funções. Se for um grande utilizador de atalhos de teclado, há muitas hipóteses de nem a vir a usar, mas é uma boa ideia obter uma noção do que esta é capaz.

Leitura adicional

10 things every new Mac owner should know disponível também em Português.

Common new Mac user mistakes (Aguarda autorização para tradução)

Se ainda não deu uma vista de olhos pelas coisas que esperam a um dono de um Mac com Intel no mundo da utilização de Sistemas Operativos em simultâneo, tem que dar uma espreitadela em how to run Windows and Mac apps side-by-side with Parallels e no side-by-side Windows and Mac OS with Parallels.

Se a produtividade é o seu jogo, dê também uma espreitadela no Quicksilver. mesmo que não use tudo o que a aplicação tem para oferecer, terá à disposição um excelente Application Launcher.

Finalmente, devo apontar que estou longe de focar todo o tópico com este texto. Fiz o meu melhor para me lembrar o que me pareceu mais importante aquando o meu início no Mac OSX, mas estou certo de haver muito território que eu não cobri. Se tiver algma questão sobre este assunto, por exemplo alguma função de windows que não encontra a contrapartida no Mac, pode deixar o comentário. Se for um utilizador avançado de Mac e tiver algumas dicas próprias, por favor deixe o seu comentário.

Os meus agradecimentos ao Jason Chen por me dar a mão durante a minha passagem em Agosto – respondendo a algumas perguntas embaraçosas como “como é que eu instalo esta estúpida aplicação?!”

Adam Pash é um editor associado do LifeHacker cuja atracção por sistemas operativos não tem limites. A sua rubrica especial Hack Attack aparece todas as Terças Feiras no Lifehacker. Subscreva o RSS do hack Attack para obter actualizações imediatamente no seu leitor de Rss.

Caixa do sistema operativo

Lifehacker especial de 02 de Janeiro de 2007

lista de items mais vendidos da Amazon

tabela de referência

guia de Atalhos do Macosx da página do autor

atalhos secretos (ou nem tanto) do Macosx

Infos sobre o arranque

10 things every new Mac owner should know/ disponível também em Português

how to run Windows and Mac apps side-by-side with Parallels

side-by-side Windows and Mac OS with Parallels

Quicksilver

Leave a Reply