É uma boa altura para comprar um mac? Devo esperar?

A decisão só depende de si, mas…

Sabe-se algumas coisas que simplificam esta decisão:

1. Só Steve Jobs e mais uns sortudos sabem das novidades… Na data de apresentação do Iphone só havia 3 modelos “definitivos”, um nas mãos de Steve Jobs, e dois adicionais em exibição na macworld. Por isso, quando se fala que alguém viu um mac sem ser nas mãos do Steve… esqueça…

2. O Steve Jobs é um ser medático. Gosta de aparecer, e os seus fãns gostam da marca por causa disso. Se for uma actualização em grande, espere um evento em grande!

3. Os computadores mac não se desactualizam tanto como os computadores windows e por isso o valor de um mac usado é muito maior no caso de necessitar de vender o seu em segunda mão.

Detalhando um pouco…

1. Quem na Apple bufar, ao desemprego vai parar… esta é uma máxima da Apple. Quando Steve Jobs regressou ao comando do barco, a cultura da marca era “dormir” com os editores e jornalistas das revistas da especialidade em troca de um pouco de spotlight, e notoriedade. Quando o Steve regressou, começou a punir exemplarmente qualquer fuga de informação perpretada por qualquer trabalhador ou fornecedor. Contratos cancelados, despedimentos etc, tudo servia para punir este tipo de fuga de informação (em alguns estados americanos consideradas como espionagem industrial, com direito a cadeia)

Desde aí as principais fontes de informação da internet são fontes públicas como por exemplo o Gabinete das Patentes Americano/Europeu, algum regulador que seja obrigado a abrir comunicação pública para interessados na matéria e pouco mais.

Existe ainda, face ao alinhamento com alguns fabricantes, o que eu gosto de chamar de rumor sério, ou seja a capacidade real de adivinhar o futuro… por exemplo… se a Intel anuncia que uma nova plataforma (motherboard, gráfica, suporte a memória, etc) vai ser lançada, é natural que a Apple apanhe o barco mais cedo ou mais tarde, e com um intervalo de um mês, tenha substituído toda a linha que se suportava na plataforma anterior. Assim se passou e assim se passará por exemplo com a introdução em Jnho/Julho da nova plataforma de entrada de gama… a SantaRosa

Existe ainda outro tipo de fuga que se prende com o empacotamento, ou seja… a dias/horas de serem entregues as caixas para venda alguém no circuito de distribuição intercepta e divulga o facto… o que é raro, pois hoje em dia a apresentação de novos produtos ocorre ainda antes do envio do equipamento.

Assim, se virem na net algum rumor de um mac super mega actualizado que torna a vossa possível compra automaticamente desactualizada… esqueçam…

2. Toda a gente sabe que o Steve não é um excelente gestor… aliás tomou muitas decisões que lhe correram bem, mas com uma ponta de sorte, e com uma boa dose de calma e savoir faire… mas gestor, daqueles gestores à Belmiro de Azevedo, o Steve não é… É um excelente negociador e vendedor, mas esquece-se sempre da componente custos e rentabilidade do negócio. Por ele todos os computadores teriam desde Janeiro passado o mesmo touchscreen do iPhone, não teriam teclado ou rato, e o Apple tv teria um disco rígido de um terabyte.

Mas há uma coisa que ele gosta de fazer… é ser a cara da empresa, e a apresentação de novos produtos é um papel que desempenha ao rigor, com ensaios de conteúdo, programação da apresentação ao segundo, testes, sistemas de backup, tudo numa coreografia digna de qualquer banda rock.

Assim, a apresentação de novidades bombásticas guarda-se para duas épocas distintas. A Macworld em Janeiro, destinada ao consumidor doméstico, e a Wold Wide Developers Conference no Verão, neste ano na segunda semana de Junho.

Se tivermos estas situações de sobreaviso… nunca compraremos gato por lebre… pelo menos na totalidade.

Um mês antes (e há quem defenda um mês depois) destas festas é arriscado demais… antes pois os lançamentos de algo são certos (se bem que pode ser outro modelo que não o pretendido), depois pois as primeiras fornadas normalmente vêem pejadas de problemas, que apenas são evidenciadas após uma utilização abusiva por parte dos consumidores finais.

À parte destes dois eventos, as actualizações são sempre pontuais, e da mesma forma em data desconhecida, e é sempre uma actualização de modelo, aumentando a memória, substituindo um tipo de processador quando este é descontinuado na fábrica etc. É possível que tal aconteça na Terça Feira (dia da semana historicamente usado) seguinte à ter comprado o seu computador. No entanto estas actualizações nunca põe em causa a actualidade do seu computador.

3. Se vem do mundo windows já sabe que o que consome recursos e exige upgrades constantes às máquinas são as aplicações 3d, reconhecidamente aqueles software lúdicos chamados de Jogos, vício, joga, jogatina, tironeles, etc. Estes programas são verdadeiros hardware testers que puxam ao máximo as suas capacidades. Cada vez que um novo jogo sai com um motor actualizado usando novas funcionalidades gráficas totalmente dependentes do GPU (Graphics Processing Units) milhares de carteiras por esse mundo fora tremem sob o espectro de mais uma actualização de hardware.

A última aconteceu recentemente com a introdução do direct X 10, apenas disponível no Windows Vista, que promete deslumbrar o mundo com efeitos gráficos com mais capacidade do que qualquer PS3 em alta definição… só que para os ter, precisará de uma placa de video de preço semelhante ao da consola

Este tipo de software é que torna um hardware obsoleto. No meu trabalho uso aplicações de escritório, aquelas que já usava à dez anos (excel, outrlook, access) e apesar de se notar alguma lentidão quando comparado com máquinas novas, o meu computador com 4 anos ainda se aguenta bem.

Assim, e sabendo que os macs não são máquinas de jogos, e que o ritmo de evolução do restante software é algo mais lento, facilmente chegaà conclusão que a sua compra sobrevive a um espaço de 6 a 8 anos …  assim não deve ter receio da compra que pretende fazer.

É claro que é chato uma actualização um dia depois de ter recebido o seu computador… mas não pense nisso… se possível desligue-se da internet e goze aquilo que o seu computador novinho, com aquele cheiro característico tem para lhe ofercer… é que se daqui a um mês quizer substituí-lo, o que duvido, o seu valor monetário é em média superior ao de um computador windows semelhante. Assim tem a certeza de não perder tanto dinheiro!

O nosso conselho vai então para:

1. Detectar e se possivel escrever num papel as suas necessidades específicas. Vai trabalhar com que tipo de aplicação, que tipo de mobilidade exige… se escrever vai ver que fica tudo mais organizado e não corre o risco de se esquecer de um factor importante

2. Analise as suas finanças para ver quanto dinheiro tem disponível. Nós não somos a favor de créditos e afins, já que quando acabar de o pagar, já o seu computador estará desactualizado, além de que com o juros dos créditos ao consumo à taxa de hoje em dia, ao fim de um ano já pagou um computador e um monitor wink. Mas atenção… deve também levar em linha de conta a rentabilidade que conseguirá retirar de um computador. Alguém que prentende realizar filmes de alta definição não deverá comprar um entrada de gama só porque nós aconselhamos a não recorrer ao crédito. Deste seu trabalho virá retorno financeiro que poderá (esperamos) compensar os gastos adicionais com o crédito.

3. Munido destas necessidades e limitações /plano financeiro poderá então pensar no prazo de compra. Preciso hoje? preciso amanhã? daqui a três meses? estabeleça um prazo realista e veja se este prazo se cruza com algum grande evento ou rumor sério de actualização. Se não… compre-o quando precisar dele.

4. Se seguir a via passional… compre quando quizer, tiver dinheiro e o que lhe der na gana!  wink

Vai ver que de qualquer das formas não se arrependerá… e que ao fim de um ano, já estará a pensar no modelo que vem a seguir!

Leave a Reply