Trabalho ou diversão… só depende do sentindo de quem paga e quem recebe!

Tudo começou em 1997 quando eu acabei o curso de Economia e fui trabalhar para a empresa portuguesa que paga mais impostos no país… a PT Comunicações. Por lá, tive o contacto com um “empreendedor” que me fez despoletar o gosto pela web, nomeadamente pela criação de páginas de intranet, bem como gestão e manutenção de servidores.

Hoje em dia, ainda na PT pois estou mal habituado à “estabilidade”, dou comigo a pensar se não está na hora de cortar as amarras e lançar-me a tempo inteiro nesta coisa do fazer páginas da web. ..

Não é que eu seja bom, ou que tenha grandes dotes artísticos… mas é onde dou comigo a perder mais tempo, a aprender coisas novas. Se de início só usava o Dreaweaver (que me fez dar à luz o site da DeltaConsultores já com chamadas a bases de dados access (para comodidade do meu cliente), hoje já só uso o TextMate e um cliente FTP para alojar os ficheiritos lá nos seus devidos locais.

Quando o meu primeiro “cliente” me perguntou quanto me iria pagar pelo site, eu disse-lhe…” Ó Lencastre”… esqueça isso… eu faço isto por diversão… e para aprender”… ao que ele respondeu a fabulosa frase que serve de título a esta entrada.

“Trabalho ou diversão… só depende do sentindo de quem paga e quem recebe! Como não te vou pedir dinheiro a ti, vou-te fazer um pagamento que eu acho simpático”.

Foi o meu primeiro cálculo de honorários…. Desde então, já lhe montei uns três sites sempre com plataformas por trás, dedicados ao e-learning, sua área de actuação, e finalmente lancei-me para outras parágens… entre motas e este blog que aqui está, tem sido uma aprendizagem constante assente na net. Ele é CSS, ele é PHP ele é Flash+xml, etc… vou a todas…

Até que descobri um livro chamado Transcending CSS que me fez dar o devido valor aos métodos antigos de aprendizagem. Os autenticos livros de referência (gramáticas) disponíveis na net são optimas fontes para se saber escrever… mas falta sempre alguma coisa que nos expliique qual o sentido da escrita.

Saber o que é um DIV ou um UL é engraçado, mas colocá-lo ao serviço da acessibilidade, e de outro tipo de estrutura é um passo mais além. Meninos… Estou a refazer quase tudo o que fiz com base no que se chama o markup semântico… Em vez de criar uma estrutura de HTML a pensar na sua forma de apresentação, faço-o com o objectivo de que o conteúdo seja compreensível sozinho, sem folhas de estilo, sem nada, até porque os softwares de leitura de ecrã para os invisuais estão-se a borrifar para a apresentação… Colocar uma foto antes de um menu pode ser engraçado… mas apenas para quem vai ver a foto!!

Não tinha nada para fazer, e estou a escrever para aquecer os dedos… mas a partir de agora, vou incluir o Markup semântico como categoria para que possa ir deixando aqui umas pérolas de sabedoria… daquelas assim resmengas… que eu não me acho com ar de ostra…

Já agora para aqueles que têm que fazer apresentações em público Presentation ZEN e apresenta algumas guidelines para fazer com que as vossas apresentações tenham o feito desejado! deixar marca!

(bolas… tenho que começar a meter algumas imagens aqui pelo meio smile )

Leave a Reply