37 Signals ou Software as A Service

  • Nome:

    Basecamp, Backpack, Highrise e Campfire

  • Configuração base:

    O modelo Software as A Service tem cada vez mais adeptos.

    O facto de não se querer querer pagar uma licença completa de software quando não se sabe se se vai usar, ou o facto de se estar sempre a actualizar as versões de software com cada vez mais features desnecessárias tem levado a uma crescente adopção de novos mecanismos de uso de software.

    Se a isto aliarmos o facto de por vezes ser necessário gerir múltiplas pessoas que participam em múltiplos projectos, a partir de diferentes localizações e com setups informáticos diferentes, rapidamente vemos a vantagem das aplicações Web Based.

    Por seu turno, a evolução do AJAX e das RIA (Ritch Internet Aplications) veio oferecer ao cliente, interfaces rápidas e intuitivas para o manuseio dos seus dados, sem ser necessário recarregar páginas inteiras de informação.

    Uma das software houses pelo qual o meio MAC tem especial carinho é a 37signals… Se pensarmos que esta software house nos trouxe em parceria uma das ferramentas de desenvolvimento de software para a web mais usada – Ruby On Rails – já vemos que não são propriamente iniciantes no assunto.

    Logo na página de entrada pode-se ler o seguinte aviso, que resume claramente quais os propósitos da empresa e seu software:

    Do seu lineup de aplicações encontra-se o famoso basecamp que é uma ferramenta “completa” de gestão de projectos, o Backpack um wiki pessoal que permite a criação de páginas interligadas com qualquer conteúdo, o Highrise ferramenta de CRM e gestão de contactos e finalmente o Campfire ferramenta de comuncicação e colaboração online.

    Todas estas aplicações têm em comum uma coisa… são super simples de trabalhar.

    A sua interface intuitiva vem acabar com as habituais bloatwaretools que estamos habituados a trabalhar localmente. Convenhamos… 90% das funcionalidades disponíveis nas aplicações… não usamos… e a implementação de colaboração exige normalmente custos elevados, com aquisição de licenças, normalmente muito caras.

    Confesso que pouco usei as aplicações, tendo-me concentrado nas versões gratuitas do basecamp – dá para gerir um único projecto, mas hey.. no limite a “minha vida ™” é um projecto em curso, e no backpack, que permite a criação de 5 páginas conexas, sem conteúdos acvançados como alojamento de ficheiros ou de imagens (inclui partilha) e mesmo o calendário, tudo disponível nas contas pagas. Não peguei no Highrise pois o meu pda ainda chega para as encomendas, e sinceramente… se preciso de aceder aos contactos num computador… e se 99,99% das vezes uso o meu próprio pc/mac… what’s the point?

    Finalmente o basecamp exige contas multiutilizador, dos quais a minha pessoa, apesar de alguns laivos de síndroma de dupla personalidade, não precisa.

    Quanto ao Backpack, as suas funcionalidades gratuitas são reduzidas ams desde logo interessantes. Listas de afazeres, whiteboards, e html simples tudo está disponível para se criar uma pequena base de dados de informações sotlas, as chamadas pequenas coisas da vida.

    Uma coisa interessante é que cada página do backpack dispõe de um endereço de e-mail próprio, e poderemos usar um qualquer programa de e-mail para “carregar essa página com informação extra”.

    O Basecamp disponibiliza um projecto e tem as opções habituais de ferramentas colaborativas de gestãod e projectos. Tasks, milestones, contactos, calendários, está tudo lá, disponível inclusivamente na primeira página a “Dashboard” que é um agregador pessoal de tudo o que se passa nos nossos projectos ou naqueles de outras pessoas em que tomamos parte activa.

    São programas interessantes, constantemente actualizados pela software house… que no conjunto ainda ficam um pouco caros para quem sabe que ficará agarrado a vida toda… 12 Usd por mês para o basecamp ou 5 usd pelo pacote básico do Backpack… ao fim do ano são 204€ que já compram algumas licenças pessoais de alguns programas de instalação local… sempre disponíveis, mesmo quando não há web.

  • Apresentado em:

    2003

  • Retirado em:
  • Aspectos Positivos:

    Ultraleves, interface perfeita, poucas mas excelentes funcionalidades e implementação de UI. Ferramentas de colaboração perfeitas. Acessíveis em qualquer plataforma (sim, mesmo iphone) e em qualquer ponto do mundo.

  • Aspectos Negativos:

    Dependem da web, não estão integradas, dando lugar à proliferação/duplicação de listas to-do, contactos e informações de projecto. O processo de login não é único, apesar de suportar a nova ferramenta Open Source de Single Sign On a OPEN ID que está a ganhar momentum com o suporte cada vez maior de empresas como a Google, IBM, Microsoft, VeriSign, e Yahoo! já presentes na comissão de criação da OpenID.

  • Modelo comparativo:

    Remember the milk

    Google Calendar

Links úteis:

(ver ao longo da peça)

Fotos:

Leave a Reply