Mac OS X Server. Introdução ao mundo dos grandes! Parte IV

Quando iniciei esta pequena aventura, delineei logo o que pretendia fazer:

– Uma explicação do que se pode ganhar com um servidor,

– Um olhar pela oferta da Apple,

– Um “case study” de uma empresa PME,

– E um caso de uma grande empresa de Tecnologias de informação.

Como não sou esquisito, olhei para a lista de empresas e optei por uma que é conhecida de todos… a SAPO.

O caminho do Sapo tem sido dos mais interessantes na vida das “.coms” portuguesas. Começando como motor de busca numa sala de universidade, rapidamente cresceu e se afirmou como “O” motor de busca nacional.

Daí soube adaptar-se aos tempos modernos, e passou a portal, com secções específicas pioneiras, como as áreas sectoriais (automóveis, imobiliário) que hoje são as fontes principais de informação de algumas indústrias…

Saltou para algo mais “serviço” tendo sido usada pelo Grupo PT para a oferta de acessos à internet, com gestão de utilizadores e e-mail e páginas pessoais, e ultimamente apostou na abertura das suas APIs para fornecer informação a todos os que a pretendam… numa verdadeira empresa web 2.0.

Esta abertura poderá parecer estranha para alguns, mas quem conhece a empresa desde a sua origem, sabe que o compromisso com a cultura OpenSource tem sido uma constante, sendo os seus serviços principais suportados em Linux, e outras tecnologias abertas.

Mesmo a criação de algo novo, por exemplo em Cabo Verde, levou, de novo, à opção por uma intricada rede de software livre que dão força a todo o sistema!

Foi com mente nesta aproximação a sistemas alternativos, que eu optei por contactar directamente o Celso Martinho do Sapo.

Não o conhecia directamente, mas já tinha tido conhecimento do seu trabalho, essencialmente na altura do Sapo Code Bits, que ele e a sua equipa, ajudou a montar. ajudou é como quem diz… fez tudo. smile

Ele respondeu prontamente, e para alguns, como foi para mim… vai ser uma surpresa!

iSwitch(I):Há quanto tempo usas Mac OSX?

Celso Martinho(C):2002. OSX Jaguar.

I: O que te fez mudar para Mac OSX?

C: Tem o melhor dos dois mundos, core Unix e um desktop environment moderno e francamente à frente das alternativas. As bases Unix são determinantes para mim porque grande parte do meu trabalho ainda é à volta de um terminal.

I:Qual o teu Mac do dia-a-dia?

C:Macbook Pro 2.4

I:Cortaste totalmente as amarras pessoais com outros sistemas, ou existem situações pessoais em que te vez obrigado a recorrer a outros sistemas.

C: Windows nunca usei (mesmo), nem pessoalmente nem profissionalmente.

O meu desktop era Linux/KDE, nunca mais usei.

Nos servidores uso quase sempre Linux.

I:E a nível de trabalho…

Trabalhas no Sapo, sendo um dos “mentores” das ideias que têm mantido esta empresa/plataforma na actualidade, sendo que sempre foi uma entidade nacional com uma aposta forte no Open Source, e sistemas “fora da manada” e cumprimento dos standards globais da WWW. Mas e internamente…

Consegues sobreviver com um Mac no teu dia-a-dia profissional?

C: Sure. Why not?

I: A SAPO permite-te usar livremente este sistema, ou existem imposições de sistemas que dificultam o seu uso (páginas IE only, Conflitos com ADirectory, Exchange e Mail.app)?

C: Não usamos Exchange no SAPO, não temos página IE only nem Active Directories. E a maior parte das ferramentas transversais do grupo que partilhamos integram bem (ie: Active Directory do grupo PT).

I: E quanto ao Mac OSX Server…É difícil pensar na utilização generalizada de um Mac OSX server em empresas onde a “cultura” Mac não é dominante ou sequer possui um espaço reconhecido, mas existem sempre alguns nichos… O SAPO possui servidores XServer/ Mac OSX?

C: No SAPO o Mac é dominante, trust me smile Devemos ser uns 40, assim a olho.

Quanto ao Xserver temos uma farm que corre o nosso serviço de Webthumbs

i: Se sim, usa-os para sistemas internos, Externos (públicos) ou simplesmente para testes de conformidade de serviços?

C: Externos. Temos também um XServer para VPNs para Macs, para acesso ao nosso backend. Só porque há umas extensões proprietárias de PPP da Apple que não são suportadas por outras VPNs.

I: Da tua sensibilidade, “aqueles” problemas de fiabilidade e manutenção ou intervenções programadas (ou não – Updates e afins) são mais ou menos frequentes nestes sistemas?

C:Até à data não há queixas relativamente à fiabilidade ou manutenção do OSX Server.

I: A Assistência técnica é feita (creio eu) via parceiros dedicados… como comparas a qualidade de serviço face aos outros sistemas?

C: Não é tão boa em Portugal, mas acho que isso vai mudar.

I: Se de repente, num mundo perfeito, todos os servidores custassem o mesmo, bit por bit, optavas por Xserver/macosX, outra marca com Windows ou Linux ou outro sistema operativo, ou um mix de todos?

C: Na generalidade gosto muito do Linux, é poderoso, flexível e tem um nível de suporta imbatível: a comunidade. Mais de 90% dos servidores do SAPO (que são mais de 500 actualmente) correm Linux. Isto tem, claro, muito a ver com o historial do SAPO, com a nossa cultura e com as competências que adquirimos e desenvolvemos ao longo dos tempos. E sem facciosismo nenhum também temos uma boa quota de plataformas em ambiente Windows.

O OSX Server vejo-o o mais, por enquanto, em ambientes corporativos e/ou em pequenas ou médias empresas, ou para utilizações muito específicas para serviços da Internet. No caso dos Webthumbs usamos o Webkit da Apple para gerar os thumbnails, daí a escolha. Também é muito popular em empresas ligadas à produção multimédia.

I: Foste um dos mentores do Sapo Code Bits, que finalmente criou laços fortes entre uma empresa e o meio estudantil para o desenvolvimento de ideias e programas para o futuro. Não é segredo nenhum que este tipo de iniciativa é rara. Parabéns!

De entre todos os participantes havia alguém dedicado exclusivamente à plataforma Mac OSX?

C: Muitos. Um deles é o nosso programador residente de Cocoa, o João Pavão.

I: Este sistema era, na maioria dos casos uma incógnita da equação a ter em conta ou era simplesmente uma constante= 0 (zero) na mente dos participantes?

C: Na estiveste lá pois não? smile A densidade de Macs era significativa.

I: Da tua sensibilidade do meio da programação, como achas que as frameworks de criação de código “especializado” (Objective-c, COCOA, webapps e afins) se comparam com as ofertas dos concorrentes (e.g. .NET, Ruby, etc)?

C: Comparar Cocoa com Ruby é um bocado alhos e bogalhos. No Desktop, Cocoa é extremamente poderoso e assim de repente não vejo nenhum ambiente semelhante. Desde o modelo de objectos, ao vasto conjunto de APIs que o OSX tem e à forma “seamless” com que se integram, a fechar com um IDE tão bem esgalhada para o OSX como o XCode, é tudo bom demais para ser verdade. Na web ou no server-side, Objetive-C é irrelevante, aí dominam as linguagens de scripting (ie: Perl, Ruby, PHP, Python), .Net ou o Java.

I: Existem em Portugal algumas “start-ups” criadas por universitários que se começam a dedicar em exclusivo à Plataforma MacOSX. O caso da Empty Factory , ou da Pico. Como vês este movimento e o que é que a SAPO pode oferecer em termos de integração com os serviços SAPO?

C: A Pico é a empresa do João Pavão, que é funcionário do SAPO smile

A Empty Factory não conheço.

Com o advento do iPhone, e pelo facto de partilharem os mesmo framework e o mesmo OS, há uma procura crescente por este tipo de competência em Portugal e no mundo. Só pode melhorar.

I: Finalmente uma pergunta sobre o gadget do momento. O iPhone…vês algum espaço no SAPO para a criação de “versões” do portal/serviços Sapo em exclusivo para este gadget como a Google fez?

É publico que as API’s do SAPO estão preparadas para tal, já que se suportam em standards abertos em vez de flash ou silverlight ou outras tecnologias que dificultam este tipo de coisa… ou seja será algo simples de fazer, mas achas possível o comitment de uma empresa global a uma plataforma móvel específica?

O SAPO vai desenvolver uma aplicação para iPhone, está no roadmap. Somos uma das 4000 empresas no mundo com uma licença para o SDK e para a distribuir na App Store.

O nosso muito obrigado ao Celso Martinho pelo tempo que “perdeu” aqui com o nosso cantinho, e por ter respondido a estas perguntas todas!

4 thoughts on “Mac OS X Server. Introdução ao mundo dos grandes! Parte IV

  1. Ótima entrevista!

    É interessante ver empresas fora do típico eixo design/vídeo/áudio/publicidade usando Macs.

  2. Parabéns pelo artigo, JP!

    Tens assim terminada a tarefa de abordar o OS X Server. Todas as 4 partes são excelentes e feitas com dedicação e muito profissionalismo. Deste uma lição a muita gente por aí.

    Mal possa vou fazer um artigo no meu blogue a dar destaque a este teu trabalho. Conta com isso!

  3. Obrigado pelas palavras simpáticas smile… afinal tudo isto foi em resposta a uma provocação tua smile

  4. Uma provocação que nem era dirigida para aqui. Mas pelos resultados valeu bem a pena… superaste as minhas expectativas com os 4 artigos. Fica bem e continua com os bons posts.

Leave a Reply